Capa do Livro Que eu seja a última - minha história de cárcere e luta contra o Estado Islâmico - Murad, Nadia

Que eu seja a última - minha história de cárcere e luta contra o Estado Islâmico - Murad, Nadia

484 palavras · 3 minutos tempo de leitura Biografias e Memórias Literatura Estrangeira Policial e Suspense Terror

Ei! Você também adora ler sempre que pode? Descubra o poder do Kindle!

Que Eu Seja a Última: Minha História de Cárcere e Luta Contra o Estado Islâmico

Por Nadia Murad

Resumo

Nadia Murad é uma jovem yazidi que foi sequestrada e mantida em cativeiro pelo Estado Islâmico (EI) por três meses. Durante esse tempo, ela foi torturada, estuprada e vendida como escrava sexual. Nadia conseguiu escapar e, desde então, tem se dedicado a contar sua história e lutar contra o EI.

Em seu livro, Nadia Murad conta em detalhes as atrocidades que sofreu nas mãos do EI. Ela descreve as condições desumanas em que era mantida, a violência física e sexual a que era submetida e o medo constante de ser morta. Nadia também fala sobre a força que encontrou para resistir e sobre a esperança que nunca perdeu de um dia ser livre.

Uma História de Sobrevivência

A história de Nadia Murad é uma história de sobrevivência. É a história de uma jovem mulher que enfrentou o horror e a violência e conseguiu superar tudo isso. Nadia é um símbolo de esperança para todas as vítimas do EI e de outros grupos terroristas. Sua história mostra que é possível sobreviver à violência e à opressão e que é possível lutar por um mundo melhor.

Uma Luta Contra o Estado Islâmico

Nadia Murad não se contenta em apenas contar sua história. Ela também é uma ativista que luta contra o EI e outros grupos terroristas. Nadia viaja pelo mundo para dar palestras e entrevistas, e ela usa sua plataforma para denunciar as atrocidades cometidas pelo EI e para pedir justiça para as vítimas.

Nadia Murad é uma mulher corajosa e determinada que está fazendo a diferença no mundo. Sua história é uma inspiração para todos nós e sua luta é uma luta por um mundo melhor.

Principais Temas do Livro

  • A violência contra as mulheres
  • O terrorismo
  • A importância da esperança
  • A luta pela justiça

Sobre a Autora

Nadia Murad nasceu em 1993 em Kocho, uma aldeia yazidi no norte do Iraque. Em 2014, ela foi sequestrada pelo Estado Islâmico e mantida em cativeiro por três meses. Durante esse tempo, ela foi torturada, estuprada e vendida como escrava sexual. Nadia conseguiu escapar e, desde então, tem se dedicado a contar sua história e lutar contra o EI.

Em 2018, Nadia Murad recebeu o Prêmio Nobel da Paz por seus esforços para acabar com o uso da violência sexual como arma de guerra. Ela é a primeira mulher iraquiana a receber o Prêmio Nobel da Paz.

Conclusão

Que Eu Seja a Última é um livro poderoso e comovente que conta a história de uma jovem mulher que enfrentou o horror e a violência e conseguiu superar tudo isso. Nadia Murad é um símbolo de esperança para todas as vítimas do EI e de outros grupos terroristas. Sua história mostra que é possível sobreviver à violência e à opressão e que é possível lutar por um mundo melhor.

Você pode buscar seu livro direto na Amazon clicando aqui.

Melhores preços na Amazon

Compre agora na Amazon com os melhores preços