Capa do Livro Castilho, Antonio Candido de Mello - Formação da Literatura Brasileira

Castilho, Antonio Candido de Mello - Formação da Literatura Brasileira

760 palavras · 4 minutos tempo de leitura Literatura Brasileira Biografias e Memórias Geografia e História Artes

Ei! Você também adora ler sempre que pode? Descubra o poder do Kindle!

Castilho, Antonio Candido de Mello - Formação da Literatura Brasileira: Uma Obra Imprescindível para Entender a Literatura Nacional

Se você é um amante da literatura brasileira e deseja entender como ela se formou ao longo dos anos, não pode deixar de ler Formação da Literatura Brasileira, de Antonio Candido de Mello Castilho. Publicado pela primeira vez em 1959, o livro se tornou uma referência obrigatória para estudantes, professores e pesquisadores da área. Com uma linguagem clara e objetiva, Castilho apresenta uma análise crítica e detalhada da literatura brasileira desde seus primórdios até o modernismo.

Neste resumo, iremos destacar os principais pontos abordados pelo autor em cada capítulo da obra, mostrando como ele constrói sua narrativa e quais são as principais contribuições que ela traz para o campo da literatura brasileira.

Capítulo 1 - Época Colonial

No primeiro capítulo, Castilho faz uma análise da produção literária no período colonial, que vai do século XVI ao início do século XIX. Ele destaca a importância da poesia jesuítica na formação da literatura brasileira, bem como a influência das Cartas de Pero Vaz de Caminha e da obra de Gregório de Matos. Além disso, o autor discute a presença do Barroco na literatura colonial, mostrando como ele se manifestou tanto na poesia quanto na prosa.

Capítulo 2 - O Romantismo

No segundo capítulo, Castilho aborda o período romântico, que vai de 1836 a 1870. Ele mostra como os escritores românticos buscaram criar uma literatura nacional, voltada para a realidade brasileira e para as questões sociais e políticas do país. O autor destaca a importância de autores como Gonçalves de Magalhães, Álvares de Azevedo e José de Alencar, que foram fundamentais para a consolidação do movimento romântico no Brasil.

Capítulo 3 - O Realismo

No terceiro capítulo, Castilho faz uma análise do período realista, que vai de 1870 a 1890. Ele mostra como os escritores realistas buscaram retratar a realidade brasileira de forma objetiva e crítica, destacando a influência do positivismo e do cientificismo na literatura da época. O autor destaca a importância de autores como Machado de Assis, que foi um dos principais representantes do movimento realista no Brasil.

Capítulo 4 - O Parnasianismo

No quarto capítulo, Castilho aborda o período parnasiano, que vai de 1882 a 1893. Ele mostra como os escritores parnasianos buscaram criar uma literatura baseada na perfeição formal e na busca pela beleza, destacando a influência do simbolismo e do impressionismo na literatura da época. O autor destaca a importância de autores como Olavo Bilac, Raimundo Correia e Alberto de Oliveira, que foram fundamentais para a consolidação do movimento parnasiano no Brasil.

Capítulo 5 - O Simbolismo

No quinto capítulo, Castilho faz uma análise do período simbolista, que vai de 1893 a 1922. Ele mostra como os escritores simbolistas buscaram criar uma literatura baseada na subjetividade e na busca pelo mistério, destacando a influência do decadentismo e do espiritualismo na literatura da época. O autor destaca a importância de autores como Cruz e Sousa, Alphonsus de Guimaraens e Augusto dos Anjos, que foram fundamentais para a consolidação do movimento simbolista no Brasil.

Capítulo 6 - O Pré-Modernismo

No sexto capítulo, Castilho aborda o período pré-modernista, que vai de 1902 a 1922. Ele mostra como os escritores pré-modernistas buscaram criar uma literatura voltada para as questões sociais e políticas do país, destacando a influência do naturalismo e do regionalismo na literatura da época. O autor destaca a importância de autores como Lima Barreto, Euclides da Cunha e Monteiro Lobato, que foram fundamentais para a consolidação do movimento pré-modernista no Brasil.

Capítulo 7 - O Modernismo

No sétimo e último capítulo, Castilho faz uma análise do período modernista, que teve início em 1922 com a Semana de Arte Moderna. Ele mostra como os escritores modernistas buscaram romper com as tradições literárias do passado e criar uma literatura voltada para a realidade brasileira e para as questões sociais e políticas do país. O autor destaca a importância de autores como Mário de Andrade, Oswald de Andrade e Manuel Bandeira, que foram fundamentais para a consolidação do movimento modernista no Brasil.

Conclusão

Em Formação da Literatura Brasileira, Antonio Candido de Mello Castilho apresenta uma análise crítica e detalhada da literatura nacional desde seus primórdios até o modernismo. Com uma linguagem clara e objetiva, o autor mostra como cada período literário contribuiu para a formação da literatura brasileira e destaca a importância dos principais autores de cada época. A obra se tornou uma referência obrigatória para estudantes, professores e pesquisadores da área e é imprescindível para quem deseja entender como a literatura brasileira se formou ao longo dos anos.

Você pode buscar seu livro direto na Amazon clicando aqui.

Melhores preços na Amazon

Compre agora na Amazon com os melhores preços